Radio online

sexta-feira, 17 de março de 2017

PF disse que PMDB e PP estavam sendo beneficiados pelo esquema dos frigoríficos investigados pela Operação Carne Fraca

O delegado da Polícia Federal Maurício Moscardi Grill, que está à frente das investigações da Operação Carne Fraca, deflagrada nesta sexta-feira (17) para apurar o pagamento de propina feita à fiscais agropecuários por parte de frigoríficos, disse que partidos políticos teriam se beneficiado do esquema. "Há indícios claros dentro da investigação de que parte do dinheiro da propina era revertido para partidos políticos, como o PP e o PMDB", disse Moscardi. O ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-PR), empossado por Michel Temer no início deste mês, aparece em uma das gravações interceptadas pela PF pedindo informações sobre o frigorífico Larissa, um dos alvos das investigações.

Apesar da citação, o juiz Marcos Josegrei da Silva, e Ministério Público Federal entenderam que não existiam indícios suficientes contra o ministro. "Não se extraem elementos suficientes no sentido de que o parlamentar (Deputado Federal) que é interlocutor em um dos diálogos, que detém foro por prerrogativa de função, esteja envolvido nos ilícitos objetos de investigação no inquérito policial relacionado a este feito", diz o juiz em seu despacho.

“Segundo ele, é “natural” que os funcionários e servidores do Ministério da Agricultura “busquem auxílio ou intervenção de deputados de seu Estado a fim de viabilizar o atendimento de interesses do órgão”, desde que dentro da legalidade”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário